segunda-feira, 25 de julho de 2011

Notícias

Japonesa, mediterrânea, brasileira: qual a melhor dieta do mundo?
ÉPOCA conversou com especialistas para saber quais os benefícios e males de algumas das dietas e dos hábitos alimentares mais próximos do brasileiro
LAURA LOPES
sxc.hu
Legumes, pizza, sushi ou gastronomia indiana? Saiba o que há de bom e ruim em dietas de cinco regiões do mundo, incluindo a brasileira
No café da manhã, arroz, missoshiro, verduras e peixe. No almoço, legumes, massa, peixe, vinho e frutas. No jantar, legumes com curry e grãos integrais. Será que misturar os melhores itens da dieta de países como o Japão, a Grécia e a Índia ajuda a viver mais? Os alimentos têm um papel importante na saúde das pessoas e, sem dúvida, melhorar a qualidade do que se come ajuda a ter uma vida mais saudável. "Mas a dieta não é o único elemento que melhora ou piora a saúde de um povo", afirma a nutricionista Mônica Inez Jorge, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. "Essa condição está ligada também ao estilo de vida". 

Segundo a nutróloga Mercedes Granja, não é só por causa dos benefícios do azeite de oliva, do vinho e dos legumes que a população mediterrânea sofre menos de doenças cardíacas que a dos Estados Unidos: o estilo de vida de países como Itália, Grécia e Portugal preza por refeições demoradas e contemplativas – uma característica comum também aos japoneses. No caso do Japão, as porções pequenas, de pratos variados, servidas numa refeição também são um fator para que sua população não seja tão afetada por problemas como o diabetes e a obesidade mórbida, endêmicos entre os americanos – fãs de porções exageradamente grandes. "Quando a gente atribui à alimentação dos americanos um fator preponderante para a obesidade, também temos que considerar outros fatores, como a evolução tecnológica, que favorecem o sedentarismo", diz Mônica. 

Mesmo que o espanhol não seja mais saudável só porque consome mais azeite, é possível destacar alguns pontos positivos dos estilos de vida de cada população para aplicá-los à nossa realidade. ÉPOCA consultou especialistas para levantar os benefícios dos costumes de vários povos à mesa e ajuda você a incluir hábitos mais saudáveis em seu cotidiano. 
Dieta brasileira 
sxc.hu
O famoso PF, encontrado em qualquer lugar do Brasil
É possível afirmar que não há cidade no Brasil em que não haja um restaurante que sirva o famoso PF, com arroz, feijão, salada, uma carne – vermelha ou branca – e um legume. Pode ser nos grandes centros ou no interior, no sul ou no norte, acompanhada de farinha ou pirão, mas a combinação arroz-feijão-bife-salada é tradicional. O prato feito é tão "de casa" e relacionado à boa comida que até os melhores restaurantes do país têm sua releitura dessa combinação, ainda que com preços muito mais salgados.
Benefícios: "Arroz, feijão, carne, salada e legume formam uma mistura bastante equilibrada. É o que os nutricionistas gostariam que todo mundo comesse", afirma Mônica. A carne também é fundamental, mas quanto menos gordurosa, melhor. "Precisaríamos de um bife pequeno por dia", diz Mercedes. A combinação "arroz e feijão" é perfeita: eles fornecem proteínas vegetais complementares – o que falta em um, tem em outro. O feijão é rico em fibras, previne o câncer de intestino e atrapalha a absorção do colesterol presente em maior ou menor grau na carne. "Se o arroz for integral, é ainda melhor", diz a nutróloga.
sxc.hu
Os brasileiros têm acesso a uma grande variedade de frutas frescas
Malefícios: No PF, o legume geralmente é a batata frita – que não é a melhor escolha, uma vez que poderia ser cozida ou em forma de purê. "O melhor mesmo seria uma verdura refogada, porque o arroz já é uma fonte de amido, assim como a batata", diz Mônica. Apesar da variedade de alimentos que podem compor uma dieta equilibrada, muitos brasileiros lutam para se manter em forma. Segundo levantamento do IBGE de 2004, cerca de 40% da população adulta brasileira está acima do peso e 11% (10,5 milhões) é obesa.
Hábitos: Há uma grande oferta de restaurantes com comida variada, com bufê por quilo, onde a população das grandes cidades costuma comer. No interior, os alimentos são preparados em casa, e há muitos ingredientes frescos. O brasileiro deve aproveitar mais seu fácil acesso às frutas, que deveriam servir de sobremesa no lugar dos doces.

 Dieta japonesa
sxc.hu
O arroz é a base da alimentação japonesa
Arroz e sopa em todas as refeições, inclusive no café da manhã. Está achando esquisito? Mas é assim que a população japonesa conseguiu o mais baixo índice de obesidade entre os países desenvolvidos, de acordo com a International Obesity Taskforce (algo como Força Internacional de Combate à Obesidade). Enquanto no Japão 3% da população adulta é obesa, o índice é de 11% entre os franceses e chega a 32% entre os americanos. Uma prova de que o conjunto de hábitos à mesa no Japão é saudável é o que acontece com os japoneses que migram para outro país. Especialmente quando vão para uma nação ocidental, eles veem sua saúde piorar drasticamente por conta dos hábitos alimentares. Um estudo da Faculdade de Saúde Pública da USP mostrou que a ocorrência de diabetes entre nipo-brasileiros pulou de 22,6% para 36,1% entre 1993 e 2000, e isso está relacionado a uma dieta diferente da que estavam acostumados em seu país de origem. Trata-se de uma taxa altíssima quando comparada com a da população japonesa (6,9%) e da brasileira (5,2%), segundo o Atlas da Federação Internacional de Diabetes.

Benefícios: A base da dieta japonesa são o arroz e as sopas. O cereal é rico em carboidratos complexos, que não aumentam o nível de açúcar do sangue rapidamente (como farinhas refinadas e doces), é feito sem qualquer tempero ou gordura e sua ingestão evita que a pessoa exagere em outros pratos. Além dele, estão muito presentes missoshiro, vegetais cozidos e crus (quatro ou cinco variedades por refeição), ovo e algas. A proteína vem de peixes de águas geladas, ricos em ômega-3, que ajuda a proteger o coração. O Japão tem 2% da população mundial, mas é responsável pelo consumo de 10% de toda a produção de pescado do planeta. O consumo de soja – em forma de queijo, leite, pasta ou molhos – também é saudável, uma vez que ela é fonte de proteína vegetal e livre de colesterol.

sxc.hu
Pequenas porções são comuns no Japão
Malefícios: Para a nutróloga Mercedes, o chá é uma bebida saudável, mas contém filatos, uma substância que, se ingerida logo após a refeição, pode atrapalhar a absorção do ferro presente nas verduras. O shoyo também deve ser consumido com cuidado. "É uma fonte muito rica de sódio, que pode aumentar a pressão sanguínea", afirma Mônica. O ideal é fazer como os japoneses, que só encostam – e não mergulham, como no Brasil – o peixe no shoyo para temperá-lo. A opção light, com menos sal, também é uma boa alternativa.

Hábitos: O japonês tradicional faz refeições longas, sem pressa e com pequenas porções de comida. Um estudo da Universidade de Illinois mostrou que, quando as porções à mesa são fartas, as pessoas tendem a comer 45% mais do precisariam. No Japão, não se come muitos doces com chocolate e açúcar, como é comum no ocidente. Os dois costumes são benéficos à saúde.


Dicas importantes III

Posted: 19 Jul 2011 06:00 AM PDT
Os suplementos nutricionais são parte fundamental de um programa que inclua treino pesado, dieta saudável e descanso, tudo visando o aumento da massa muscular. Aqueles que não desejam comprometer seu organismo e saúde com drogas podem dedicar-se à ingestão de suplementos e ter ótimos ganhos. O uso de suplementos devem ser orientados por profissionais habilitados à isso, em especial o nutricionistacom especialização em Nutrição Esportiva, pois caso contrário, eles poderão trazer efeitos indesejáveis ou até mesmo não apresentarem resultados. Entre os suplementos mais divulgados para aumentar a massa muscular magra, destacam-se:
1- Creatina
creatina é encontrada em carnes e peixes, porém, em pequenas quantidades. No músculo, a creatina se combina com o fosfato (creatina-fosfato), resultando numa importante molécula que regenera o ADP em ATP, a primeira fonte de energia para os músculos em exercícios intensos.
Estudos sugerem que a creatina aumenta a retenção de água nas células musculares e propicia um aumento de força e síntese proteica, resultando no desenvolvimento damassa magra.
2- Hipercalóricos
Os hipercalóricos nada mais são do que uma mistura de carboidratos, proteínas,gorduras, vitaminas e minerais, ou seja, muitos deles são considerados substitutos de refeição, por terem todos os nutrientes que precisamos. Eles conseguem aumentar o aporte calórico diário, de forma saudável, possibilitando assim, um balanço energético positivo, pois em muitos casos é o que falta para o atleta ganhar músculos: calorias.
3- Proteínas e aminoácidos
As proteínas (whey protein, caseína, albumina, etc.), de forma geral, são usadas para melhorar a recuperação muscular, ganho de força e produção de energia durante o exercício. Podem ser usadas pré-treino, pós-treino, ao acordar e antes de dormir, lembrando que whey é de absorção rápida e caseína, albumina e soja, de média-lenta absorção. Ao acordar e após o treino a melhor opção são as de digestão rápida e antes do treino e antes de dormir, absorção média-lenta.
Os aminoácidos (BCAA’s, glutamina, arginina) melhoram a resistência muscular, regeneram o sistema imunológico e realizam manutenção da massa muscular presente (anticatabolismo).
4- Cromo (Picolinato de cromo)
O cromo potencializa a ação da insulina e esta estimula a captação de glicose e aminoácidos pelas células, propiciando um aumento no estoque de glicogênio e síntese proteica. Além disso, o cromo ajuda no equilíbrio da glicemia, evitando picos tanto de glicose como de insulina, o que dificulta o acúmulo de gordura e diminui o desejo por carboidratos refinados (isso acontece quando há queda brusca da glicose sanguínea).
5- HMB (Beta-Hidroxi-Beta-metil-butirato)
Atua no aumento de força durante os treinos e tem um ótimo efeito anticatabólico. O HMB é um produto gerado à partir da quebra da leucina, o aminoácido mais anabólico que existe. Estudos mostram que suplementar creatina +HMB resulta em melhores ganhos musculares.
6- Sulfato de vanádio
O vanádio imita o efeito que a insulina tem de acelerar o transporte da glicose e dos aminoácidos para dentro das células musculares. Isso cria um ambiente anabólico. Com essa função, o vanádio é capaz de aumentar os estoques de glicogênio muscular e acelerar a recuperação do corpo para o próximo treino. As doses devem ser de 10-15mg divididas em 3x ao dia (após as refeições, sendo uma delas, na refeição pós-treino)d

Dicas importantes II



Posted: 20 Jul 2011 06:00 AM PDT
Fast-Food
Atualmente com a correria do cotidiano muitas pessoas realizam a maior parte de suas refeições fora de casa. E diante de tantas opções, nem sempre as mais saudáveis são escolhidas. Uma infinidade de restaurantes “fast-food” aparece ao nosso redor, cada vez mais próximos e acessíveis.
É preciso lembrar que em qualquer estabelecimento ou situação social é possível fazer escolhas mais saudáveis ou menos prejudiciais ao nosso organismo evitando os excessos.
Pensando nisso elaborei algumas dicas para facilitar suas escolhas. Assim você verá que é possível comer fora de casa fazendo boas escolhas.
Vamos lá!
Nas lanchonetes: Escolha um  lanche sem maionese ou molhos calóricos. Opte pelos pães integrais. Escolha ingredientes mais  “magros” como: queijo branco, ricota ou cottage, presunto de peru ou frango, blanquet de peru ou frango, salsicha de peru ou frango, peito defumado de peru ou frango, hambúrguer assado, alface e tomate. Escolha suco sem açúcar ou água em vez de refrigerante. E se não resistir ao refrigerante, opte pelo light ou diet.
Na pizzaria: Peça pelas pizzas que apresentem algum tipo de verdura como escarola, brócolis, agrião. Se possível escolha como queijo a ricota ou mussarela de búfala. Satisfaça-se com  no máximo 2 pedaços de pizza. É preciso lembrar que a maioria dos sabores são altamente calóricos.
Na Churrascaria: Comece pela pista fria que normalmente apresenta uma grande variedade de saladas. Abuse destas saladas, mas não exagere nos molhos e acompanhamentos. Dê preferência às carnes mais magras, como filé mignon, alcatra, maminha ou carnes brancas como frango e peru. Para acompanhar escolha apenas uma dentre as opções: arroz, mandioca ou batata.  De sobremesa, salada de fruta sem chantilly. Nada de abusar das tortas, doces e mousses, pois são verdadeiras “bombas” calóricas. Se optar por um sorvete, que seja apenas um picolé de fruta.
Restaurantes Self-Service: Inicie a refeição pelas saladas em folhas. Escolha uma carne grelhada ou assada, de preferência sem molhos. Para acompanhar legumes refogados. Se quiser massas, as melhores opções são as sem recheio, como espaguete, talharim, rigatoni, fusili, penne acompanhados de um molho simples, como  ao sugo (tomates) ou  molho à primavera (à base de legumes). Evite molhos brancos e molhos de queijo, pois levam em sua composição creme de leite, queijos muito gordurosos, além de outros ingredientes de alta densidade energética. O molho carbonara também deve ser evitado, pois um dos seus ingredientes é o bacon que tem muita gordura.
Restaurante Japonês: Pra iniciar a refeição uma boa opção é o  missoshiru (caldo quente à base de tofu). Uma porção tem cerca de 60 calorias. Em seguida, peça uma porção de sashimi. Se quiser comer sushi lembre-se que cada unidade tem aproximadamente 40 calorias, por isso cuidado com as grandes porções. Uma opção pouco calórica é o kappamaki (enroladinho de arroz com pepino), que tem somente 15 calorias. Se optar por um prato quente, uma sugestão é o teppan yaki (frango ou peixe grelhado com legumes) acompanhado de arroz. Há ainda porções de cogumelos (shimeji e shitake), os quais são pouco calóricos e boas fontes de fibras, vitaminas eantioxidantes. Para acompanhar um cálice de saquê tem cerca de 40 calorias. Evite o rolinho primavera e os empanados e fritos como os tempurás. Quando optar por um yakissoba (macarrão), divida o prato com alguém, pois as porções costumam ser grandes e são bem calóricas. E por último fuja dos rodízios, eles são deliciosos, mas o volume ingerido acaba sendo bem maior do que o recomendado, prejudicando assim sua dieta.
Restaurante Árabe: oferecem boas opções saborosas e de baixas calorias. Os pratos são elaborados com  muitas ervas e especiarias e pouca gordura. Para a entrada opte por uma pasta de berinjela (babaganuche) ao invés da preparada com grão de bico (homus), pois esta é muito mais calórica. Evite o tahine (pasta de gergelim),pois embora com um aspecto de leveza trata-se de uma preparação bastante calórica (cerca de 50 calorias por colher de sopa). As coalhadas são boas opções, embora o valor calórico delas possa variar bastante. Outras boas opções são abobrinha recheada, quibe assado, charuto de repolho, tabule. O pão sírio também merece uma atenção especial, pois acompanha a maioria dos pratos. Cada unidade tem aproximadamente 90 calorias, portanto, não abuse! Os beirutes equivalem a uma refeição completa, dê preferência aos recheios mais light, como os de peito de peru ou  rosbife com pouco queijo e sem maionese.
Restaurante Português: Boas opções são: bacalhau na brasa e outros  peixes assados, batatas, caldo verde. Cuidado para não exagerar no azeite, pois embora seja muito saudável ele é altamente calórico.
E pra finalizar em um barzinho: Muito cuidado com os petiscos fritos e extremamente gordurosos como  de queijo provolone a milanesa, polenta frita, batata frita. Opte por saladas acompanhadas de queijo branco, palmito, batata cozida com ervas ou vinagrete. Para beber escolha um suco de frutas sem açúcar ou refrigerantes diet/ light. Muita atenção ao consumo das bebidas alcoólicas. Lembre-se 1g de álcool (7 kcal) tem mais calorias que 1g de açúcar (4 kcal). Se beber não deixe de manter uma boa ingestão de água. 

Espero que as dicas ajudem e no próximo artigo vou trazer dicas de como se comportar em situações especiais como aniversários, viagens, etc. Até a próxima

Dicas importantes






frutas-vermelhas
A cor vermelha das frutas é sinônimo de que poderosos antioxidantes se encontram no alimento. Entre eles estão a antocianina e o ácido elágico, responsáveis por grande parte dos benefícios do morango, amora, framboesa, cereja e romã.
A antoacina é um flavonoide com ação imunoestimulante, excelente para o sistema circulatório, pois evita problemas cardíacos e inibe a formação de coágulos sanguíneos. Já o ácido elágico previne alterações celulares causadas pelos radicais livres, que podem levar ao câncer e a outras doenças degenerativas.
Já a melancia e a goiaba, além do morango, são importantes fontes de licopeno. Essa substância, que confere a cor vermelha às frutas, evita o surgimento de doenças cardiovasculares, devido ao seu poder de redução do colesterol ruim (LDL). Também tem importante papel na prevenção de câncer, especialmente o de próstata.
Porém, nem só de antioxidantes vivem as frutas de cor avermelhada, vamos descobrir os benefícios de cada um em nosso organismo.
APROVEITE AO MÁXIMO
morango é realmente uma excelente fonte de antioxidantes. Além de antocianina, ácido elágico e licopeno, essa fruta apresenta catequina e delphinidin, dois compostos fenólicos que potencializam a ação contra os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce das células. Não é à toa que, devido a esse time antioxidante, o morango é uma das frutas que mais favorecem o rejuvenescimento da pele. A catequina ainda auxilia no fortalecimento das defesas do organismo.
Essa fruta é bastante rica em fibras solúveis, que auxiliam na redução do colesterol. Isso porque ao serem digeridas, essas fibras formam um gel que se liga às gorduras e as elimina junto com as fezes.
Infelizmente, o morango é um alimento bastante perecível e dura entre 3 e 4 dias no máximo, quando armazenado em geladeira. Por isso, saber escolher bem na hora de comprar é essencial para evitar o desperdício. A cor alimento deve ter o tom vermelho bastante vivo, além das folhas bem verdes, e frutas com manchas escuras ou partes moles devem ser descartadas. Outra dica é não lavar o morango antes de colocar na geladeira, pois a fruta molhada apodrece com maior facilidade, lave somente na hora de utilizá-lo.
PODER ANTI-INFLAMATÓRIO
Mais conhecida por ser a fruta que enfeita o topo do bolo ou do sorvete a cereja, quando consumida fresca pode trazer muitos outros benefícios. Seus principais nutrientes são os ácidos naturais, como o salicílico, o succínico e o málico.
O ácido salicílico possui potente efeito anti-inflamatório, tão importante que a substância é utilizada como um dos componentes de analgésicos. Já os ácidos succínico e málico eliminam toxinas do sangue e estimulam as glândulas digestivas.
Assim como as outras frutas vermelhas, a cereja contém boas quantidades de vitamina C, que, junto com o ferro presente é uma grande aliada no combate à anemia. O ferro ainda auxilia no armazenamento e transporte de oxigênio dentro da célula.
Pra terminar, o cálcio, que participa da formação e manutenção da massa óssea do corpo, e a vitamina A, que mantém a saúde da pele e dos olhos, são mais alguns dos nutrientes que a cereja apresenta.
PELE REJUVENESCIDA
Característica das estações quentes, a amora é uma fruta pequena, de sabor bem adocicado e com uma coloração que varia entre o vermelho e o preto.
É uma importante fonte de silício, mineral que estimula as proteínas de sustentação (colágeno e elastina), dando firmeza e tonicidade à pele. Por isso o mineral, junto com os antioxidantes da amora, favorece o rejuvenescimento do corpo.
Por conter bastante potássio, sua utilização como tônico muscular nas práticas esportivas vem crescendo. Isso porque esse mineral tem papel importante para o relaxamento muscular, promovendo a dilatação dos vasos e melhorando o fluxo sanguíneo, além de ser essencial para a conservação do equilíbrio ácido/base do organismo.
A amora ainda possui boas doses de pectina, fibra solúvel que mantém a sensação de saciedade por mais tempo, combate a prisão de ventre e regula a absorção intestinal do açúcar proveniente dos alimentos, equilibrando as taxas de glicose.
Por fim, seu suco quente ainda auxilia contra problemas na garganta, como rouquidão e inflamações.
FIBRAS PODEROSAS
framboesa está entre as frutas mais ricas em fibras solúveis. Essas fibras, ao ajudarem na eliminação de gorduras, melhoram os níveis de colesterol no sangue, reduzem o risco da formação de cálculos biliares e retiram metais e toxinas indesejáveis do corpo, fazendo uma verdadeira faxina no organismo.
Além disso, a fermentação dessas fibras por bactérias da flora intestinal permite baixar o pH desse meio, tornando-o mais ácido, o que é favorável para o desenvolvimento de boas bactérias e melhoria da flora.
Entre outros nutrientes presentes na fruta está o manganês. Esse mineral é necessário para o crescimento e desenvolvimento dos ossos, atua na saúde dos nervos e na normalização do nível de açúcar no sangue. Além do manganês, a vitamina C, presente em grande quantidade na framboesa, também favorece as defesas do organismo, melhorando a resistência do corpo contra infecções.
HIDRATAÇÃO PARA O ORGANISMO
melancia tem 90% de água, essa grande quantidade faz da fruta uma ótima fonte dehidratação, principalmente depois de um exercício físico ou nos dias quentes de verão. Além disso, favorece a eliminação de líquidos retidos no organismo, combatendo os indesejados inchaços.
A melancia também favorece vitaminas C e do complexo B, além de minerais como cálcio, ferro, fósforo. O fósforo faz parte da estrutura das membranas das células, além de ser essencial à transmissão de impulsos nervosos e armazenamento e liberação de energia.
Apesar de ser pouco calórica (cada fatia pequena tem 33 calorias, tornando-a ótima opção para cardápio de uma dieta), a melancia concentra grande quantidade de frutose, um tipo de açúcar de fácil digestão que pode elevar o nível de glicose no sangue rapidamente. Por isso, quem sofre de diabetes deve ficar de olho na quantidade consumida dessa fruta.
Na hora de comprar, prefira sempre a melancia inteira. Quando fatiada, contato com o ar oxida parte de seus nutrientes, diminuindo seus benefícios. Além do mais, o manuseio da fruta cortada pode aumentar o risco de multiplicação de micróbios.
BARREIRA CONTRA O CÂNCER
Além do ácido elágico, a romã conta com os benefícios de mais dois tipos de ácidos: o gálico e o protocatequínico. Juntos, eles barram moléculas que danificam as estruturas das células que podem causar câncer, afirmam um estudo pela Universidade de São Paulo (USP), que também atribui aos ácidos elágico e gálico o poder de proteger as paredes internas das artérias, reduzindo as chances de ocorrer problemas cardiovasculares, como infarto e AVC (Acidente Vascular Cerebral).
Outros nutrientes, como potássio e vitaminas A e B9, mais conhecidas como ácido fólico, também são encontrados na fruta. A vitamina A mantém os olhos protegidos contra infecções, trabalham para a saúde da pele, evitando manchas e garantindo um bronzeado mais bonito, e é importante para o bom funcionamento do sistema imunológico. O ácido fólico é essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso do bebê desde o início da gestação e, por isso, deve ser consumido antes mesmo da mulher engravidar.
As cascas da romã ainda produzem um chá com efeito vermífugo e anti-inflamatório.
ALIADA DO PESO
Além de trazer muitos benefícios à saúde, a goiaba pode ser uma ótima aliada na perda de peso. Isso porque possui apenas 54 calorias a cada 100g e é repleta de fibras da polpa até a casca. Como esses nutrientes demoram mais para serem digeridos, acabam prolongando a sensação de saciedade e mantêm a fome longe por mais tempo. As fibras ainda melhoram o funcionamento do intestino e contribuem para a regulação dos níveis de colesterol e glicose do sangue.
A concentração de vitamina C na goiaba é uma das maiores entre os alimentos, porém, sua versão branca contém maior quantidade que a vermelha. Esse nutriente não só fortalece a imunidade e auxilia na cicatrização, como também é antioxidante, atuando contra a ação dos radicais livres no organismo.
A fruta também possui razoáveis concentrações de vitaminas do complexo A,  B2 (riboflavina) e a B3 (niacina). A riboflavina melhora a absorção de carboidratos, proteínas e lipídeos, sendo peça importante na produção de energia. Já a niacina participa da formação de neurotransmissores, incluindo a serotonina, responsável pela sensação de bem-estar e relaxamento.

Bom dia amigas

Estou muito feliz hoje, fim de semana foi muito bom, minha familia é muito abençoada por Deus.
minha Ra foi boa não jakei, no sábado acordei estava muito nervosa por um problema que eu tinha passado com uma pessoa que me deu um prejuízo material. acabei esquecendo de comer kkkk ja fui lembrar estava no hora do almoço.
Achei até legal comi tranqüila e até mereci uns quilinhos a menos YÈS hehe.
essa semana também quero caprichar, fazer tudo certinho.
desejo a todas um lindo dia, vamos em frente.
Eu tomei no café 1 xic . de chá mate com adoçante,  1 bolo de arroz
lanche 1 banana nanica.

vou almoçar na casa do meu irmão la vai ser rocambole de frango hum bom d+ =D
prometo não exagerar kkkk.
Estou bem consciente, confiante, que não vou descontar na comida, meus problemas, por que gordo sempre tem uma desculpa pra fazer as coisas erradas.

Bom dia, estou muito feliz com meu jejum até aqui eu já eliminei -2 kg. ontem dei uma exagerada no almoço mas me controlei logo em seguida...